.mais sobre nós

.pesquisar

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Chegou a Primavera

. ...

. Sites de interesse

. "Gosto de ti"

. ...

. ...

. Era uma vez...

. Tenho uma casinha

. Remodelações

. Os bons dias

.arquivos

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.Visitas

Web Site Counter
Free Counter
blogs SAPO
RSS
Sexta-feira, 9 de Maio de 2008

A Lenda das Amendoeiras

A cultura portuguesa possui um vasto leque de lendas e histórias, muitas vezes menosprezado pelos próprios portugueses. Deixo aqui a Lenda das Amendoeiras..

 

 

 

Diz a lenda que um poderoso rei mouro andou em guerra por terras do Norte frio onde a neve cobre tudo durante parte do ano. Dessas lutas trouxe consigo prisioneiros e escravos. Aconteceu porém que, entre os escravos, vinha uma jovem princesa linda, de olhos muito azuis, cabelos cor de ouro, pele luminosa e porte altivo de rainha.

    Pois foi por essa jovem que o rei mouro se apaixonou. Para ele, era a Bela Princesa do Norte. Ela era sua prisioneira, sua escrava, mas o rei, fascinado pela beleza da jovem, deu ordens para que ela vivesse livre no seu reino. "Que não a persigam, que não a molestem", foram as ordens do rei.

    A bela princesa nórdica agradeceu com um lindo com lindo sorriso e o rei ficou feliz.

    Algum tempo depois, o rei foi encontra-la em preparativos para regressar à sua terra Natal.   

    Alarmado, o jovem mouro quis saber que razões a levaram a desejar abandona-lo e ao seu reino. A Bela Princesa do Norte disse-lhe que eram muitas as saudades que sentia da sua terra onde nascera. Preso àqueles olhos azuis, logo ali o rei lhe declarou o seu amor e lhe pediu que ficasse para casar com ele pois já não podia viver sem ela.   

    Mais uma vez a Princesa do Norte agradeceu com o seu belo sorriso.

    Fez-se o casamento; as festas e a alegria pareciam nunca mais acabar. Foi no meio do último dia de festas que o rei deu falta da Bela Princesa que era agora sua esposa.

-Procurem-na, procurem-na - dizia o rei desesperado.

    Acabaram por encontrá-la doente, estendida na cama, quase morta e chorando, chorando..

    Vieram médicos e sábios, mas ninguém conseguia curar a jovem que já mal tinha forças para sair da cama.

    Abatido e desgosto, o rei já não sabia o que fazer para salvar a sua amada. Foi então que pediu para falar ao jovem apaixonado um velho prisioneiro que também viera das terras do Norte. E disse que sabia como curar a princesa.

    Entre desconfiado e esperançoso, rei deixou que o velho falasse com a enfraquecida princesa.

    O velho era um poeta e começou a falar-lhe das recordações e saudades que ambos sentiam das suas terras do Norte. A Bela princesa do Norte abriu os olhos e sorriu. E a esperança a esperança voltou do coração do mouro.

     O poeta disse ao rei como podia fazer voltar a alegria à sua amada. Falou-lhe da neve que cobria os campos e caminhos lá ao norte e explicou-lhe que a princesa sentia a falta desse manto branco por onde costumava passear o seu olhar. Aconselhou o pequeno rei a mandar plantar muitas e muitas amendoeiras pois estas, ao florirem, dariam a ilusão de que a neve cobria os campos.

    O rei assim fez e algum tempo depois ele próprio acompanhou a princesa para que ela olha-se os campos frente à sua janela.

    -Neve! A minha querida neve!

    O lindo sorriso e as juras de amor foram o agradecimento.

    Ambos estavam felizes e o reino encheu-se de amendoeiras com flores brancas que davam à bela nórdica a ilusão de estar na sua terra Natal. 

 

 

 

 

 

publicado por lú às 16:08
link do post | comentar | favorito

.links

.Memórias


.Online

who's online